Resenha | Corte de espinhos e rosas

Oi gente! <3

A resenha dessa semana é mega especial, pois foi uma surpresa ULTRA-MEGA-POWER positiva para mim e, agora eu quero ler TUDO que essa autora escrever. Bora?

14030949_1363276230389745_347668427_n

Feyre é a filha caçula de um mercador humano falido. Vivendo com seu pai e suas irmãs mais velhas – Elain e Nestha –, mesmo sendo a mais nova, ela já têm a responsabilidade de sustentar a família, pois Nestha parece só ter tempo para odiar o pai e falar de prováveis maridos, e Elain se ocupa sendo… Elain. A família vive em uma pequena tenda em um simples vilarejo, pois depois de anos sendo sacrificados e escravizados pelos feéricos – uma espécie de raça superior – os humanos se rebelaram e conseguiram uma aparente liberdade.
Tendo como sua única distração a caçada, Feyre tornou-se tão dura como as flechas com que atira, e tão letal quanto sua pontaria. Em um dia de caçada comum, ela encontra uma corça, mas ao começar a planejar de como irá capturá-la, ela percebe que tem companhia – um lobo. Feérico? Não, ela induz. Pois apesar de as dimensões serem similares, outras características não coincidem.

“Melhor morrer com a cabeça erguida a morrer como um verme, encolhida e covarde.”

Então, depois de muito observar e medir os passos do lobo, ela utiliza sua flecha de freixo e o mata, logo após faz o mesmo com a corça. Ela volta para casa, entrega o alimento à família (não recebe gratidão de Nestha, como de costume) e se finaliza mais um dia. Comum. Normal. Costumeiro.
Nananão.
Até que acontece.
Uma enorme criatura bestial invade a tenda de Feyre, exigindo acerto. No fim das contas, era um feérico.

Ela roubou uma vida. Agora deve pagar com o coração.

“Não tema o mal. Não sinta a dor”.

14011869_1363276173723084_498350892_n
Arrastada para além do muro, devido ao tratado de uma vida pela outra, ela conhece Prythian – uma terra mágica e traiçoeira, que ela só conhecia através de lendas -. Prythian é dividida em sete cortes: primaveril, outonal, estival, invernal, crepuscular, diurna e noturna; sendo cada uma governada por um diferente Grão-Senhor.

Logo adiante ela descobre que o seu raptor não é uma besta, e sim Tamlin, o Grão-Senhor da Corte Primaveril. Ele e seu povo são condenados por uma maldição que prendeu no rosto deles, de forma definitiva, na parte superior do rosto, uma máscara metálica que só da espaço para ver os olhos. Na tentativa de se adaptar e conhecer esse novo mundo, Feyre se depara com diversas criaturas, Pucas, Bogges, Nagas…

“Vou triturar seus ossos entre minhas garras; vou beber sua medula; vou me banquetear com sua carne. Sou o que você teme; sou o que receia… Olhe para mim. Olhe para mim”.

13989467_1363276250389743_471281892_nVivendo numa elegância que jamais poderia ser descrita ou comparada à sua antiga vida, Feyre estranha a gentileza de Tamlin e todo o seu esforço para fazê-la se sentir a vontade. Seu amigo, Lucien (MELHOR PERSONAGEM) já não vai com a cara da humana – como ele a chama – e demonstra sua reprovação desde o princípio.
A medida que ela aprende mais sobre esse mundo novo comandado por magia e lendas, ela se habitua com o pavio curto de Lucien, e seus sentimentos por Tamlin passam de indiferença para uma paixão inexplicável. Pois sempre que ela se vê em apuros, ou com alguma dificuldade, ele está ali, disposto a ajudar sem querer nada em troca.

“Não se sinta mal nem por um segundo por fazer o que a faz feliz”.

“Porque sua alegria humana me fascina, o modo como vivencia as coisas em sua curta existência, tão selvagem e intensamente e tudo de uma vez é… hipnotizante. Sou atraído por isso, mesmo quando sei que não deveria, mesmo quando tento não ser”.

Claro que é inserido um maldito terceiro elemento, para confundir a cabeça do leitor…

Ao entrar escondida em uma comemoração feérica, Feyre é salva de ser estuprada por um dos seres humanos mais lindos que ela já viu – posteriormente revelado como Rhysand (há quem o prefira, mas eu sou totalmente Team Tamlin) – mas fica sem reação ao olhar nos olhos dele e foge.

“Tudo o que amo sempre teve a tendência de ser tirado de mim”.

Mas quando ela pensa que tudo finalmente está no seu devido lugar, segredos obscuros começam a ser revelados, uma antiga sombra avança pelo mundo das fadas, e Feyre nem imagina que está nas mãos dela o poder de detimento dessa sombra… Caso contrário, Tamlin e seu povo estarão condenados.

14012292_1363276180389750_844400411_nCom uma escrita P-E-R-F-E-I-T-A (uma das melhores que já li, se não for a melhor), Sarah J. Maas redige Corte de espinhos e rosas (uma releitura de A bela e a fera misturada com Game of Thrones) com uma maestria inquestionável, com personagens marcantes e um enredo de qualidade indiscutível. O desfecho (eu esperava mais, só que não foi uma decepção) é eletrizante e ao mesmo tempo deixa vários buracos e questionamentos na história – cujos acredito que só serão respondidos e preenchidos no próximo livro.

Se eu recomendo? ÓBVIO.

Sarah J. Maas entrou para o topo das minhas escritoras favoritas, ultrapassando escritoras como Cassandra Clare e Lauren Kate. Então, chega logo “Corte de névoa e fúria”, porque meu coraçãozinho não tá querendo aguentar ♥

14012314_1364134843637217_1090237596_n

Título: Corte de Espinhos e Rosas | Autor: Sarah J. Maas | Editora: Galera Record | Páginas: 434 | Gênero: Fantasia, Jovem Adulto | Adicione: Skoob. | Compre: Amazon (realizando a compra por este link, você contribui para o crescimento e desenvolvimento do blog ♥).

14202536_1159747317433911_1400875095540401291_n

Clique AQUI e responda para nós! O Blog está prestes a completar um ano e vocês que vão decidir quais livros devemos sortear ♥

Kennia Santos

SP, 20. Completamente fissurada em leitura, futebol e Star Wars.

6 comentários sobre “Resenha | Corte de espinhos e rosas

    • Sawyer disse:
      Sawyer

      Faz igual eu, começa por esse que não tem vários livros ainda, pra conhecer a autora, e se gostar compra tudo rsrs, mas é muito difícil não gostar 😀

  1. Aline Santos disse:

    Ual! Eu já estava doida pra ler os livros da Sarah, imagina agora!
    Qro mtoo ler esse livro, tbm não tinha ctz por onde começar…Espero conseguir ler em breve!
    Bjs!

  2. Jéssica Medeiros disse:

    Eu amo a capa!!! Ela é estranha pelos emaranhados de galhos desenhados com a fonte do título…. Enfim, eu amo hahaha Mas tinha medo de comprar e acabar em decepcionando com a história. Depois dessa resenha, vou pôr ele na lista <3

Deixe uma resposta