Resenha | Tá Todo Mundo Mal

E aí, pessoal? Jout Jout é uma youtuber consagrada por seus vídeos de discussões, principalmente sobre o feminismo, como no vídeo NÃO TIRA O BATOM VERMELHO, mas também é dona de um humor impecável mostrado em FINALMENTE UMA RESPOSTA. Pensando em expandir essas suas divagações, a jornalista escreve sobre tudo em Tá Todo Mundo Mal.

TA_TODO_MUNDO_MAL_1459849854576172SK1459849854BTítulo: Tá Todo Mundo Mal.
Autora: Jout Jout.
Número de Páginas: 200.
Editora: Companhia das Letras.
Avaliação: ♥ ♥ ♥

Tá Todo Mundo Mal dá o seu pontapé inicial com uma breve história unida à apresentação da própria Jout Jout e seu namorado, Caio. Imersos na história, vamos para o real foco do livro, as crises enfrentadas pela autora ao longo de sua vida, desde as mais simples às profundas, entretanto nenhuma deixa de passar alguma mensagem.

“Me faltava queixo e autoestima, mas eu fazia qualquer pessoa que colasse ao meu lado morrer de rir.”

São, literalmente, crises de todo tipo, como os variados casos na puberdade, a guerra entre socializar e a assistir à Netflix, insatisfação com o corpo, o cuidado com seu Tamagotchi, problemas com a amiga, medo por estupro, entre outras, o que torna impossível de não nos identificarmos em alguma.

Imagem promocional da Saraiva para o livro da Jout Jout.

Júlia Tolezano apresenta em sua obra uma extensão dos seus vídeos. Para quem acompanhou a leitura, deve ter percebido as gírias, os assuntos e o jeitinho “joutiano” de se expressar, inclusive é possível interpretá-la em algumas passagens do livro. E aí está o problema para mim, pois o conteúdo do livro é ótimo, cheio de reflexões e recheado de humor, mas todo o texto funciona em mais, para mim, em formato de vídeo.

“Você não está acomodada. Você está incomodada.”

3 estrelas representa “Bom” em minha faixa de classificação, o que explica a batalha entre um conteúdo bom, porém um modelo de leitura pouco influente, em minha opinião. Recomendo a leitura não somente para quem é fã da youtuber, mas também para quem possui as ditas crises existenciais.

Até breve, até logo.

Ycaro Santana

Baiano, 15 anos, estudante. Quando não me encontrar lendo, verás uma extensão infinita de outras possibilidades envolvendo a literatura, seja escrevendo, acompanhando adaptações ou buscando novas opções para viver. Permaneço em meu mundo particular e, algumas vezes ando por este planeta chamado Terra.

18 comentários sobre “Resenha | Tá Todo Mundo Mal

  1. Naiara Fidelis da Silva disse:

    Confesso que não tenho costume de ler livros de youtubers, ainda mais porque não conheço ela muito bem ela, só assisti seus vídeos uma vez.

  2. Aline Santos disse:

    Oie Ycaro!
    Me divirto com os vídeos dela!
    Mto engraçada!
    Tenho vontade de ler o livro pra saber mais detalhes das histórias que ela conta, principalmente das crises de existência que eu acho q tdo undo se identifica né…
    Bjs!

  3. Jéssica Medeiros disse:

    Uma amiga me apresentou os vídeos dela, foram bem poucos, mas gostei muito!! Essa minha amiga ta loooouca pra ler, então vou dar de presente de aniversário pra ela e depois pedir emprestado (sorte minha que a amizade já é de sete anos então, já fazemos trafico de livros de uma casa pra outra) kkkkkk

  4. Camila Rosa disse:

    Oiiee, tudo bom?
    Eu gosto muito dos vídeos dela, realmente tem muitas coisas nas quais me identifico, não gosto de livros do tipo, mas fiquei interessada em ler Ta todo mundo mal, que estou pensando em dar uma chance ao livro.
    Beijos *-*

  5. Maria Fernanda Pinheiro disse:

    Tenho esse livro e estou lendo aos poucos, concordo que é um livro bem influente, ela soube mostrar sua opinião em forma de crises e com um tom mais simples, facilitando a compreensão. Jout Jout sabe nos fazer pensar sobre nossa própria rotina de maneira crítica, achei válida a nota

  6. Bruna Prata disse:

    A Jout Jout é ótima nos vídeos que faz, mas vem aquela velha história “livros de youtuber”. Confesso que não tenho nada contra os livros e os youtubers, mas é um tipo de leitura que não me interessa, entretanto, estamos falando da Jout Jout e essa mulher é maravilhosa, obvio que estou ansiosa pelo livro dela, mas sem muitas expectativas.

  7. Joicy B. disse:

    Sendo sincera, não pretendo fazer a leitura desse livro, talvez ele de fato ajude outras pessoas, contudo me parece o tipo de livro marketing, ou simplesmente “literatura por dinheiro”.
    “Livros de youtuber” andam bastante corriqueiros, o que me incomoda um pouco, não por serem de pessoas que fazem vídeos, mas por eu achar que fazer livros requer um pouco mais de conhecimento, envolvimento, comprometimento e pesquisa e não só vontade de escrever, não se trata só de ter uma ideia, é também saber como colocar essa ideia. Talvez esses livros tenham feito a diferença pra alguém, tenham bom conteúdo, e eu esteja errada quanto as suas finalidades, todavia, de biografia pra biografia, acho que eu ficaria com a do Nelson Mandela.

    • Ycaro Santana disse:
      Ycaro Santana

      Creio que a grande maioria faz isso por marketing também, mas é difícil julgarmos quem realmente escreveu por prazer o seu livro. Creio que, mesmo que com um escritor-fantasma (se existe nesse livro), a Jout Jout conseguiu passar ensinamentos importantes.

Deixe uma resposta