Resenha | A Joia

Fonte: Google Imagens

Fonte: Google Imagens

Violet Lasting não existe mais.

A partir de hoje, é intitulada como Lote 197, o topo do leilão das substitutas.

Vive na Cidade Solitária, que é dividida por quatro círculos:
Pântano: onde os “pobres” habitam, lutando diariamente por seu sustento.
Fazenda: onde ficam os agricultores e o cultivo de alimentos.
Fumaça: onde localizam-se as fábricas e todo o tipo de indústrias.
Banco: onde são organizados todos os quesitos financeiros.
.
.
13401029_1305551352828900_1493461205_n

E por fim – porém não menos importante -, A Joia. Onde vive a realeza.

Visando o controle de ascendência real, todas as damas que ingressam na realeza – seja por casamento ou família – são esterilizadas para impedir a reprodução de um herdeiro para suas riquezas, fazendo-se necessário, as substitutas.

As substitutas, são meninas com possibilidade de fertilidade, que são retiradas de suas famílias por cerca dos 11/12 anos de idade e levadas para internatos, onde são treinadas a lidar e manipular os presságios.

Presságios são habilidades que permitem a manipulação – através da força – do pensamento e a alteração de formas reais – podendo ser em tamanho, crescimento ou estética – (por exemplo: uma planta em estágio de crescimento, se manobrada de forma certa – através dos presságios -, pode se tornar grande e saudável em questão de minutos), e a se comportarem adequadamente perto da realeza.

13382123_1305551372828898_2094570646_n

E então, Violet completa a idade necessária e, junto com sua melhor amiga Raven – lote 192 – é levada ao leilão, onde as dez últimas colocações – de 190 a 200 – são consideradas as substitutas mais preciosas. Após um considerável tempo de lances, é leiloada por um valor alto, pela Duquesa do Lago.

 Quando é direcionada aos aposentos reais da Duquesa do Lago, ela não acredita no que vê: um quarto gigantesco, com banheiro luxuoso e um closet que parece infinito, sem contar a diversidade de comida disponível. Mas nem tudo são rosas…

“Esperança é algo precioso, não é? No entanto, não damos a ela o devido valor até que a perdemos”.

Ao passar mais tempo com a realeza, Violet percebe o quão horrível a Joia pode ser: as substitutas são tratadas como meros enfeites, meros objetos à disposição de suas senhoras, e com ela não é diferente.

“É perturbadora a rapidez com que as certezas na minha vida diminuem”.

Ela não passa de uma escrava de luxo.

 13382248_1305563886160980_1410149072_n

Ash Lockwood é um acompanhante real, utilizado para ensinar uma dama a se portar de forma que agrade o homem e faça-o se interessar por ela, visando uma união entre ambos. Vivendo essa vida que considera fútil há anos, ele não tinha esperança de uma mudança, não quando ele depende daquilo para sustentar a família.

“É difícil se lembrar de quem você é quando está o tempo todo fingindo ser alguém que não é”.

Quando conhece Violet, uma luz parece acender. Unidos pelo amor pela música, juntos, vão desenvolver sentimentos extremamente proibidos diante das circunstâncias – ele, um acompanhante e ela, uma substituta – mas eles não conseguem ignorar…

13400973_1305563866160982_1351331246_n

Quando Violet vê uma chance de escapar da Joia, não pensa duas vezes. Apesar de toda a relação com Ash, uma informação sobre seu futuro lhe é revelada e ela acaba ficando sem escolha. Quando uma circunstância inesperada surge – alguém que ela ama em risco -, Violet se vê perante a dois caminhos, duas prioridades e UMA DECISÃO.

Qual será o destino de Violet Lasting?

Primeiro de tudo: PRECISO DA CONTINUAÇÃO.

Apesar de ser um livro que demora par criar um ritmo e apontar um objetivo, Amy Ewing escreve meticulosamente bem e cria uma história muito interessante, desenvolvida com personagens que, aos poucos, vão ganhando espaço e ‘induzindo o leitor a enigmas e possibilidades‘. Uma surpresa muito positiva – que pode ser SIM -, comparada a uma versão “inversa” de A seleção, com detalhes que lembram A Rainha Vermelha. Recomendo muito.

Repito: PRECISO DA CONTINUAÇÃO.

Segundo a LeYa, o segundo volume dessa série, chamada de “A Cidade Solitária”, sai antes da Bienal ÊÊÊÊ. Afinal, a própria Amy Ewing, já confirmou presença isso mesmo que você leu!

 Espero que leiam e apreciem este livro, assim como eu e, não se esqueçam de vir aqui e deixar a opinião de vocês caso decidam ler, até mais! <3

13401152_1305563859494316_1123904593_n
Título: A Joia | Autora: Amy Ewing | Editora: LeYa | Páginas: 352.

Kennia Santos

SP, 20. Completamente fissurada em leitura, futebol e Star Wars.

2 comentários sobre “Resenha | A Joia

  1. Jéssica Medeiros disse:

    Pontos de A Seleção e de A Rainha Vermelha?? Parabéns, vocês acabaram de atiçar minha curiosidade e colocar mais justificativa pra minha falência hahahaha

Deixe uma resposta