Resenha | Mentirosos

Oi, galera, vocês estão bem?

A resenha de hoje será de um livro que impacta a maioria dos que o lêem, então preparem o coraçãozinho de vocês.

Fonte: sutilezafeminina.com.br

Fonte: sutilezafeminina.com.br

Cadence Eastman é uma Sinclair.

Eles não erram.
Não fracassam.
Não se viciam.

Todo verão Cadence se reúne com a família na ilha Beechwood, pertencente ao seu avô Harris Sinclair. Família conhecida pelo porte alto, pele e cabelos claros, exceto por Gat, o sobrinho do namorado de sua tia, que tem descendência indiana.
É nesta época do ano que ela reencontra Gat, Johnny e Mirren – juntos conhecidos como os Mentirosos -, eles não se comunicam quando estão fora da ilha, se veem somente no verão, onde permanecem juntos a todo tempo, apreciando a companhia um do outro e se aventurando. Cadence se apaixona por Gat, o garoto indiano cuja família não aprova devido à cor da pele e, quando os familiares percebem a proximidade deles, começam a impor obstáculos para que eles não fiquem juntos.

Image-1 (1)
Mas então, no verão dos 15 anos, algo terrível acontece. Cadence sofre um acidente horrível, ela é encontrada em posição fetal no mar, sem parte das roupas. Depois é diagnosticada com uma grave doença que afeta sua memória diariamente e lhe causa fortes enxaquecas que só podem ser combatidas com os remédios receitados.

Image-2 (1)
Ela não se lembra de nada. O que aconteceu, quando, como, com quem, o motivo… Absolutamente nada. Em busca de respostas – depois de muita insistência – dois anos depois, Cadence consegue retornar à Beechwood, visando recuperar as memórias perdidas.

“É bom ser amada, mesmo que não dure.”

Touché.

QUE LIVRO É ESSE? Estou em estado de choque desde que terminei. É sério!

Primeiro que, a escrita da autora é perfeita – me lembra de Proibido da Tabitha Suzuma (tem resenha completa do livro AQUI) – e a narrativa se assemelha com a de Laurie Halse Anderson em Garotas de vidro. Excelente ♥.

É uma junção de pequenas porções de mistério, sagacidade, romance, comédia – pouquinho -, drama e surrealidade.

A história é contada em primeira pessoa, mas de uma forma como se a personagem tivesse escrito um livro e lendo para si mesma, com direito a intervalos para releituras de contos, onde ela muda os principais e deixa um ‘quê’ de mistério relativo à realidade (o que pode ajudar muito o leitor a desvendar o que vêm por aí), mas sinceramente não me ajudou em nada, porque, caramba.

AQUELE FINAL.

Impactante, PURO, sagaz, verdadeiro. CRU.

Image-3
Te faz pensar em como a mente é capaz de nos enganar, buscando o próprio conforto. O quanto a busca pelo melhor, pelos caminhos errados pode gerar resultados não eficientes.

E. Lockhart caprichou em criatividade, enredo e personagens. Ao mesmo tempo que ela explicava um parâmetro, ela levantava outro que gerava mais polêmica e dúvida.

Um livro que qualquer leitor vai gostar, é um misto de reações, com uma boa história, personagens que surpreendem e um final que… bom, só lendo pra saber.

Image (1)

Título: Mentirosos | Autora: E. Lockhart | Editora: Seguinte | Páginas: 272

Participe do Top Comentarista de Maio e concorra ao livro Mentira Perfeita, autografado pela autora, Carina Rissi  😀  | Clique AQUI e saiba como participar!

ecdd2cf48813e1dbc7fbe60ebd26f86a

Kennia Santos

SP, 20. Completamente fissurada em leitura, futebol e Star Wars.

17 comentários sobre “Resenha | Mentirosos

  1. Lary lima disse:

    E bom quando a autora consegue conquistar qualquer tipo de público a história parece ser linda e triste um livro que te faz querer ler lentamente e calmamente casa página e um romance incrível um amor proibido né? Bjs

  2. Maria Fernanda Pinheiro disse:

    Eu ainda não li o livro, está na meta de leitura, achei a premissa realmente boa, para um livro ser comparado com Proibido a escrita tem que ser boa mesmo em ! acho que uma história como essa precisa mesmo de alguns detalhes a mais para inserir o leitor no fato,gostei do fato de ser narrado em 1° pessoa, assim descobrimos tudo junto com a personagem, mesmo que nós leitores sempre acabamos criando mil suposições na cabeça rsr, amei a resenha e aumentou e muito as minhas expectativas para o livro

  3. Aline Santos disse:

    Oii!
    Aaaai não consegui ler ainda…Tô mto curiosa pra conhecer mais á fundo os detalhes do livro.
    Acompanho algumas resenhas dle, e cada vez que leio me prendo mai ainda nele…
    Não vejo a hora de ler!
    Parabéns pela resenha!
    Bjs!!!

  4. Jéssica Medeiros disse:

    Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas foi ótimo ler essa resenha porque agora estou loucamente desesperada por ele rsrs Ele me pareceu tão intenso, forte e, não sei porque (talvez seja a capa), aconchegante! Ansiosíssima pra ler <3

  5. Marlene Conceição disse:

    Oi.
    Eu amei a resenha, se a escrita parece com a da Tabitha Suzuma eu irei ler com certeza, estranho essa perda de memória, espero que ela descubra a razão, gostei bastante da premissa, ansiosa para saber o desenrolar dessa estória.
    Boa Noite.

  6. crisdesouza disse:

    Olá…
    Já tinha ouvido falar desse livro, mas não achei que a estória fosse tão incrível assim… Sua resenha fez com que eu ficasse com uma vontade louca de tê-lo na mão agora!!! E esse quote – “É bom ser amada, mesmo que não dure.” – realmente já me impactou. Fiquei bastante curiosa para saber o que acontece com Cadence.
    Beijinhos

  7. Tatiana disse:

    Eu li esse! Não consegui adivinhar o final, cheguei a pensar algumas hipóteses mas a conclusão da história foi surpreendente, adorei. E é incrível como a gente não consegue falar muito do livro sem dar spoiler, né? A história é tão sintética e amarrada que, se contar, nem tem mais graça ler.
    Nunca presto atenção se a narrativa é em primeira ou terceira pessoa, não tenho preferência quanto a isso. E achei estranha sua comparação com Proibido (entendi, mas achei estranha kkk), porque achei ele tão lento no início, rsrs. Só depois da primeira metade a história engata. Mentirosos não, eu achei mais dinâmico, apesar de ser somente o ponto de vista da Cadence.
    Depois que eu li esse, fui atrás de outros livros da E. Lockhart, mas não encontrei nenhum outro com sinopse interessante =/

    • Sawyer disse:
      Sawyer

      Sim, Proibido é parado no início, mas minha comparação foi referente á escrita, porque as histórias possuem, realmente, ritmos diferentes.

  8. Mah Marino disse:

    Mentirosos foi o livro que me deu mais bug mental e me deixou destruída emocionalmente em 2014/2015. Eu queria morrer lendo esse livro maravilhoso… sério!!!
    Já ouviu falar ou leu o outro livro da Lockhart chamado “O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks”? Tenho maior curiosidade de ler!
    Adorei a resenha <3

Deixe uma resposta para Filipe Laia Cancelar resposta