Resenha | Uma noite com Audrey Hepburn

Fonte: Google Imagens

Fonte: Google Imagens

Libby Lomax sempre viveu às sombras. Na família, na carreira, no amor… Seu pai largou a mãe para se dedicar à um livro. Sua mãe passou a não se importar com ela dando foco apenas à carreira cinematográfica de Cass – sua irmã mais nova, linda, loira, e com corpão -. E Cass… bem, Cass só tem tempo para si mesma.
Quando, milagrosamente Libby consegue um papel bem peculiar, disfarçada de alienígena verruguento com UMA (sim, UMA!) milagrosa fala durante a filmagem, ela começa a ter esperanças de que sua carreira de até então, atriz fracassada, possa decolar. Então, ela descobre que o astro Dillon O’Hara também estará presente – o modelo maníaco, famoso, tudo de bom – é conhecido por suas noitadas com mulheres e eventos de suma importância no mundo da fama.
Libby o aborda sem querer, de forma muito, muito desagradável para uma primeira conversa, e quando ela acha que não pode piorar… bom, piora.

Sabe aqueles dias que NADA dá certo, NADA?

É então que acontece…


Ela está naquele momento fossa feminino, onde a mulher só quer assistir sua comédia romântica ou drama favorito e comer chocolate quando, de repente, quem aparece sentada, impecavelmente vestida da cabeça aos pés, exalando beleza, elegância e sofisticação?? Audrey Hepburn. Sim, AUDREY-DIVA-HEPBURN.

Fonte: Google Imagens

Fonte: Google Imagens

” -Todo mundo tem pontos fortes. Até mesmo você. Especialmente você.”

Não vem ao caso descrever reações e pensamentos detalhados, mas é incrível a forma como Audrey é infiltrada na história e consegue dar um rumo a tudo; ajudar Libby em relações interpessoais, aparência, carreira…

Audrey_Hepburn_by_saraaniceto

” – E você sabe do que mais me orgulho? De não deixar nada me assustar. Eu não era qualificada para fazer par com Gregory Peck. Não era boa o suficiente para dançar com Fred Astaire. Mas mergulhei de cabeça e dei o meu melhor, porque essa é a única maneira de uma mulher encontrar o seu lugar neste mundo.”

Sim, você vai rir MUITO.

Libby é uma figura. Com seu comportamento mirabolante e peculiar e, para ajudar, a Audrey é DIVA DAS DIVAS. Usando toda sua experiência externa, induz Libby a ter atitudes inimagináveis que resultam em experiências exuberantes com uma motivação incrível. Juntas, fazem um estrago no mundo da TV, de Libby – e incrívelmente – de Dillon O’Hara.

Fonte: how2trend.com

Fonte: how2trend.com

Neste livro, você percebe que, quando você menos espera, seus sonhos e objetivos podem se realizar. De pessoas muito loucas (sejam fantasmas ou não) que surgem para te motivar e encorajar, para você dar passos que há pouco tempo atrás nem sonharia em dar. E é da forma que você menos espera, que você pode conquistar aquilo ou quem, você nunca, mas NUNCA teria imaginado.

Fonte: grupovioles.blogspot.com

Fonte: grupovioles.blogspot.com

Lucy Holliday tem uma imaginação fértil e totalmente caracterizada para o gênero, com capacidade descritiva incrível e não-entediante, com situações hilárias que te fazem rir do início ao fim e suspirar com fofuras fofíssimas de alguns personagens. Sem contar que ela, sem dúvida, fez um estudo muito embasado e profundo sobre Audrey, vista a tamanha perspicácia e detalhismo exposto ao decorrer dos fatos.

O próximo livro vai se chamar “Uma noite com Marilyn Monroe”, infelizmente, sem previsão para lançamento pois, Uma noite com Audrey Hepburn não chegou em todas as livrarias – ainda.

Até a próxima! 😛

Título: Uma noite com Audrey Hepburn | Autora: Lucy Holliday | Editora: Harper Collins | Páginas: 272

Participe do TOP Comentarista de Abril clicando AQUI para concorrer a um Box com a Trilogia Legend!

Legend

Kennia Santos

SP, 20. Completamente fissurada em leitura, futebol e Star Wars.

18 comentários sobre “Resenha | Uma noite com Audrey Hepburn

    • Sawyer disse:
      Sawyer

      Na verdade não é exatamente uma história triste, é mais pra aquela história que tudo interfere-se para que não dê certo mas a protagonista com seu jeito mirabolante começa a encontrar lacunas…

    • Sawyer disse:
      Sawyer

      Já pensou? Também fiquei de queixo caído, exemplo, enquanto alguns recebem visitas comuns Libby Lomax recebe nada mais que Audrey Hepburn *o*

  1. crisdesouza disse:

    Oi…
    Achei a capa do livro uma graça e o desenrolar da história parece ser bastante divertido… Apesar de Libby sempre viver às sombras, parece que se torna uma mulher forte e que sabe o que quer… É aquela personagem que não sossega enquanto não conquista seus sonhos… Fiquei curiosa para ler esse livro…
    Beijinhos…

  2. Vivian Rocha disse:

    Oi Sawyer!
    A primeira coisa que notei nesse livro foi a capa! QUE CAPA LINDA! Amei!
    Adoro chick lits bem humorados e que nos fazem rir muito, foi essa a impressão que você me passou com sua resenha. Tomara que tenha oportunidade de lê-lo, me lembrou muito os livros da Sophie Kinsela!
    Bjs

    • Sawyer disse:
      Sawyer

      Olá!
      Sim, a capa é lindíssima não é? Te garanto que a edição também, Harper Collins caprichou..
      Não acho que se compare a Sophie Kinsella porque, por mais que o gênero se interligue, existem peculiaridades que diferenciam uma da outra.
      Mas posso te dizer que, como fã da Sophie, AMEI esse livro,

  3. Simone almeida disse:

    A história parece ser engraçada,a Libby e sua amiga imaginaria Audrey♥ .Impressionante mesmo a maneira como a autora introduziu a Audrey na história. A capa é bem diferente e linda,mal posso esperar para ver resenha sobre o segundo livro.

    • Sawyer disse:
      Sawyer

      Sim, imagina que babado, ser amiga da Audrey! <3

      O segundo livro não tem previsão de lançamento, provavelmente só ano que vem, mas estou ansiosa desde já! *0*

  4. Rissia Ribeiro disse:

    Eita que vou ser sincera que eu não dava nada por esse livro, a capa é bonitinha mas não é aquela que faz você querer ler o livro. Eu acho que vale a pena dar uma chance a esse livro pela sua resenha ele pode oferecer uma leitura bem divertida. Vou anotar aqui a dica e obrigada pela resenha.

Deixe uma resposta