Filme | A Vida É Bela (1998)

Oi galera! Meu nome é Fernanda e eu sou a mais nova colaboradora aqui do blog. Eu tenho 19 anos, sou estudante do terceiro ano de jornalismo e vou escrever aqui todas as terças, sempre trazendo uma dica de clássico do cinema para vocês ❤. Além de cinema, eu gosto muito de ler, fã de carteirinha de um monte de séries, não vivo sem fone de ouvido e escrever para mim é como um saco de areia para um lutador de boxe, uma forma de extravasar o que sinto. Então, vamos ao que interessa?

A Vida É Bela (La Vita È Bella) é um filme italiano de 1998, e conta a história de Guido (Roberto Benigni), um garçom judeu-italiano, que durante a Segunda Guerra Mundial é enviado à um campo de concentração junto de seu filho Giosué. Durante este período, Guido é afastado de sua esposa e se vê diante de um grande desafio: usar sua imaginação para fazer seu filho acreditar que eles estão participando de um grande jogo, tudo isso para livrá-lo dos horrores e violência presentes na guerra.

Fonte: AdoroCinema

Fonte: AdoroCinema

A delicadeza que ronda o filme é linda e você se encanta por Guido logo nos primeiros cinco minutos, um personagem engraçado que mesmo vendo o que acontece de ruim ao seu redor, tenta sempre suavizá-lo. Durante o começo do filme vemos poucas insinuações sobre o preconceito que o judeus sofriam, como se fosse o começo da guerra e é em seu segundo ato, representado pelo nascimento de Giosué, que mergulhamos de fato nos campos de concentração. O roteiro possui um belo desenrolar, e a direção também não deixa a desejar.

Uma das cenas mais bonitas, e engraçadas sem dúvidas, é logo após a chegada de Guido e seu pequeno ao campo de concentração, quando um dos capitães alemães pede para que um italiano que saiba falar alemão fique ao seu lado para traduzir as regras do campo de concentração. Guido, preocupado com a inocência de Giousé se voluntaria, mesmo não sabendo nada da língua germânica, e traduzia tudo como se fosse regras de um jogo, com pontuações e prêmios para seu filho. Apesar de ser um filme “de guerra”, possui uma fotografia colorida, como esperado de comédias, o que também ajuda a suavizar um pouco a atmosfera da história.

Fonte: AdoroCinema

Fonte: AdoroCinema

La Vita È Belle é dirigido pelo próprio Roberto Benigni, e a atriz Nicoletta Braschi que é esposa de Roberto, também interpreta Dora, mulher de Guido no longa. O filme ganhou diversos prêmios, como o Oscar de 1999 por Melhor Ator (Roberto Benigni), Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Trilha Sonora-Drama, o “Grande Prêmio do Júri” no Festival de Cannes em 1998 e até mesmo o Grammy de Melhor Composição Instrumental – Cinema, em 2000.

Gostaria de deixar um destaque especial para Giorgio Cantarini, o pequeno Giosué, que se mostrou uma criança encantadora mesmo no meio do caos. A Vida É Bela é um daqueles filmes que todos deveriam assistir, vou deixar o trailer do filme aqui embaixo, para vocês verem mais um pouquinho sobre ele:

Espero que tenham gostado do meu primeiro post❣

Beijos, e até a próxima terça!

Você já está participando do Sorteio 3 em 1 – Jane Austen? Clique AQUI e saiba como participar!

Blog_A_Rafaela_Godoy

Fernanda França

Fernanda, 19 anos, libriana, praiana e futura jornalista. Apaixonada por escrita, cinema, leitura, playlists, um sorriso aí e fã de Taylor Swift.

8 comentários sobre “Filme | A Vida É Bela (1998)

    • Fernanda França disse:
      Fernanda França

      Oi Alessandra! Eu também não havia visto o filme ainda, decidi ver para se tornar minha primeira postagem e me encantei rápido! É um filme lindo, para nos mostrar que até mesmo nas piores tragédias, podemos fazer alguém sorrir. Beijos!

Deixe uma resposta