Resenha | O Garoto Quase Atropelado

E aí, pessoal? É difícil descrever a história de O Garoto Quase Atropelado. Posso expor em poucas palavras o ideal do livro, mas também posso escrever milhares de palavras para expressar os meus sentimentos com a leitura desse livro. Porém, nenhuma dessas alternativas mostrará o quão preciosa essa obra é.

O_GAROTO_QUASE_ATROPELADO_1437748955517395SK1437748955B

Título: O Garoto Quase Atropelado.
Autor: Vinícius Grossos.
Número de Páginas: 272.
Avaliação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (♥)

No decorrer das primeiras linhas do livro conhecemos um garoto com problemas, uma morte terrível o atingiu e desde então o personagem se esconde em seu quarto em busca da prevenção de outras tragédias. Todos os acontecimentos de sua vida são escritos em um diário como forma de transmitir todas as suas ações, sentimentos e pensamentos e é assim que vamos conhecendo o protagonista do livro.

“A vida é engraçada. Em um instante estamos pisando no chão com uma sensação de segurança, uma estabilidade reconfortante e, então, num piscar de olhos tudo desmorona, você não consegue mais ficar de pé e só o que deseja é ter sua antiga vida de volta. Mas, passado um tempo, você descobre que não é mais a pessoa que era, e que as coisas que aconteceram fizeram você ver tudo de uma forma mais crua, porém real; e que, se quiser sobreviver, precisará encarar isso. “

Em um determinado ponto do livro o garoto conhece uma garota por meio de um quase atropelamento e é paixão à primeira vista. Como de costume, ambos perdem contato, porém passados dias do acontecimento, o reencontro acontece, desta vez conhecemos mais a fundo todos os personagens, a cabelo de raposa (Laís), o James-Dean não-tão-bonito (Acácio) e a garota com cabelo roxo (Natália).

“- Faça acontecer o maior número possível de momentos bons e os viva, cada um deles, como se fossem os últimos.”

Então todos embarcam em aventuras das mais leves e risonhas às desafiadoras e reveladoras. Conhecemos bem mais sobre os personagens e seus respectivos dramas durante as saídas do grupo de amigos pela cidade.

Fonte: Google Imagens

Vinícius Grossos é um autor NACIONAL que é capaz de cativar qualquer leitor. Com a premissa inicial de amizade, o autor consegue englobar muito mais assuntos envolvidos nas confidências entre a roda de amigos, dentre eles posso citar o bullying, a depressão, o abuso sexual, a homossexualidade, a bulimia e o suicídio.

“Mas morrer deveria ser um assunto mais natural, não? Por que tanto drama com algo cujo impacto todos sofremos um dia? É natural. É incontrolável. Morrer é apenas um efeito colateral de se estar vivo.”

É impossível não sentir os diversos sentimentos vividos pelos personagens do livro. A identidade do Garoto Quase Atropelado não é revelada e isso nos possibilita enxergar o protagonista da história como um conhecido, um familiar, um amigo ou até nós mesmos. Por tais motivos, essa resenha foi escrita, reescrita e modificada, mas não chegou ao ponto que eu queria, pois são sensações demais para passar-lhes por uma breve resenha. Recomendo uma coisa apenas: LEIA!

Se desejarem saber um pouco mais sobre os meus motivos para favoritar este livro, é só clicar AQUI.
Caso queria conhecer um pouco mais do autor, clique AQUI.

Até logo, até breve.

Top-Comentarista-Janeiro-BlogARafaelaGodoy

Você já está participando do TOP Comentarista de Janeiro? Clique AQUI e saiba como participar!

Acompanhe o blog nas Redes Sociais: FacebookTwitterInstagram – Google + – Skoob.

Ycaro Santana

Baiano, 15 anos, estudante. Quando não me encontrar lendo, verás uma extensão infinita de outras possibilidades envolvendo a literatura, seja escrevendo, acompanhando adaptações ou buscando novas opções para viver. Permaneço em meu mundo particular e, algumas vezes ando por este planeta chamado Terra.

40 comentários sobre “Resenha | O Garoto Quase Atropelado

  1. Driely Meira disse:

    Oiee ^^
    Esse livro parece ser incrível! Acho que todas as resenhas dele que eu li até agora o favoritaram, e a história parece ser muito linda (além de emocionante), então eu tô doida para ler. É difícil escrever uma resenha sobre um livro muito bom, não é?! Acho que, para você ter escrito e modificado a sua tantas vezes, o livro deve ser mesmo incrível.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

  2. suzana cariri disse:

    Oi!
    Faz um tempo que vi o livro e achei a historia interessante principalmente porque parece que o autor consegue passar uma linda mensagem com esse livro !!

  3. lary lima disse:

    Oi oi^^ um livro encantador <3 mds so a resenha ja nos faz querer mas imagina o livro ♥ inspirador esse tipo de livro e aquele que nós faz penssar na vida de como as vezes as coisas perdem o sentido nossa adorei dms ja quero bjs

  4. Dan Igor disse:

    A obra parece cativante, divertida e ao mesmo tempo trágica, estou louco p/ ler. A capa está super original, me atrai mais ainda para uma história sem igual =)) Abraços, resenha ótima Ycaro *-*

  5. Lost Words disse:

    Oi 😀
    Que capa linda, gosto tanto de ler resenhas de livros nacionais, e ainda mais de ler livros nacionais.
    Não conhecia o livro, mas pela sua resenha deu para perceber o quanto é envolvente, e achei curioso não revelar a identidade do garoto quase atropelado, acho que o livro fica ainda mais ‘pessoal’ para quem está lendo (deu para entender? kk)
    Gostei de você ter citado a narrativa inovadora no instagram, adoro ler livros com narrativas diferentes, e saber que esse é em forma de diário me deixou com um gostinho de quero mais. E nem preciso falar sobre você ter comentado das referencias atuais: Legião Urbana, Charlie Brown Jr / Amo.
    Beijos
    http://lostwordsin.blogspot.com.br/

Deixe uma resposta